PREPARE SUA VIAGEM RESERVA SEU ALOJAMENTO OUTRAS VANTAGENS E
PREPARE
TU
VIAGEM
RESERVA
TU
ACOMODAÇÃO
OUTRAS
VANTAGENS e
DESCONTOS
De acordo com informou o director da Expobiomasa, Jorge Herrero, em referência ao Relatório Anual do Observatório da Biomassa que está a ser preparado pela Associação Espanhola de Biomassa -AVEBIOM-.

O aumento da instalação de novos fogões e caldeiras a biomassa para uso residencial, com potências até 50kW, foi registado em 2019 um aumento no volume de negócios de 17,3% em relação ao ano anterior, até 356 milhões de euros, conforme informa o diretor da Expobiomasa, Jorge Herrero, em referência ao Relatório Anual do Observatório da Biomassa que está a ser preparado pela Associação Espanhola de Biomassa -AVEBIOM-.

No final de 2019, estavam a funcionar em Espanha 343.706 fogões e caldeiras a biomassa, principalmente instalados em habitações independentes; estão 57.659 equipes a mais que no ano anterior, o que representa um aumento de 9,8% na quantidade de unidades vendidas. 

Jorge Herrero, diretor da EXPOBIOMASA: “Este ano, as vendas visam quebrar um novo recorde ao ser a alternativa mais eficiente para o aquecimento de segundas residências”

Desde que o Observatório de Biomassa começou a coletar informações em 2009, segundo Jorge Herrero, “o uso da biomassa como fonte de energia renovável para aquecimento na Espanha tem registrado uma tendência crescente, melhorando consideravelmente as vendas durante as crises econômicas que vivemos; aliás, neste ano, as vendas pretendem bater um novo recorde ao ser a alternativa mais eficiente para o aquecimento de segundas residências ”.

Fogões e caldeiras de biomassa para uso residencial consumiu em 2019 cerca de 447.000 mil toneladas de pellets y outras 350.000 toneladas de biocombustíveis de origem natural e renováveis ​​como a pedra de azeitona, da indústria do azeite, e as cascas das nozes. 

Apenas os pellets consumidos por fogões e caldeiras de uso residencial na Espanha evitaram em 2019 o consumo equivalente a 225 milhões de litros de óleo para aquecimento e, portanto, evitaram emissões nocivas equivalentes à circulação de 400.000 veículos.

Empregos e economias onde for mais necessário

A biomassa utilizada na Espanha é de origem local e gera uma importante atividade econômica em muitas áreas. Na verdade, os biocombustíveis sólidos são produtos locais que substituem as importações de gás natural ou diesel, produzidos em terceiros países a milhares de quilômetros de distância, e gerar 13 empregos locais para cada um gerado por aquecimento a gás natural ou diesel.

A biomassa consumida como biocombustível em fogões e caldeiras de biomassa é proveniente de resíduos e subprodutos, tanto da indústria madeireira quanto da agroalimentar. Em 2019, a cadeia produtiva da biomassa para o setor residencial criou 842 novos empregos e atingiu 6.000 trabalhadores diretos, 16,1% a mais que no ano anterior. 

Os empregos são gerados na fabricação, comercialização, instalação e manutenção de fogões e caldeiras de biomassa, e também, e de forma muito intensa, na produção e comercialização de biocombustíveis. Esses empregos representam uma contribuição muito importante para a revitalização da atividade econômica na sociedade rural. 
 

 

Abertos convites para ajuda ao investimento em instalações de produção de energia térmica e elétrica de fontes renováveis, cofinanciadas com fundos do FEDER, nas comunidades autônomas da Andaluzia, Aragão, Principado das Astúrias, Cantábria, Castela-La Mancha, Catalunha, Extremadura, La Rioja, Madrid, Melilla, Região de Murcia e Comunidade Valenciana. CHAVES

As convocatórias para subvenções para investimento em instalações de produção de energia térmica e elétrica de fontes renováveis, cofinanciadas com fundos FEDER, estão abertas nas comunidades autônomas da Andaluzia, Aragão, Principado das Astúrias, Cantábria, Castela-La Mancha, Catalunha, Extremadura, La Rioja, Madrid, Melilla, Região de Murcia e Comunidade Valenciana.

CHAVES

  • Os prazos de envio de candidaturas terminam em novembro e dezembro de 2020.
  • O auxílio não é reembolsável ao abrigo do competição competitiva.
  • Poderão ser objeto do auxílio projetos e ações de investimento em instalações que melhorem a gestão e otimizem a produção térmica e a produção de biogás.
  • Além de caldeiras de biomassa e instalações de biogás, são elegíveis as instalações de cogeração que usam ciclos de rankine orgânico (ORC) e novos equipamentos para o uso de biomassa ou purificação de biogás que usam equipamentos de tratamento ou digestão existentes.
  • Em todos os projetos de biomassa é obrigatório o uso de biocombustíveis 100% renováveis. Em instalações térmicas não industriais de menos de 1 MW, o equipamento de biomassa utilizado deve comprovar que atende aos requisitos de eficiência energética sazonal e emissões estabelecidas no Regulamento de Ecodesign, e o biocombustível deve ser certificado com a mais alta qualidade de acordo com qualquer uma dessas normas. : UNE-EN-ISO 17225-2 (classe A1); UNE-EN-ISO 17225-4, (classe 1); 164003 (classe A1); ou 164004 (classe A1).
  • Os beneficiários podem ser pessoas físicas ou jurídicas, públicas ou privadas que atendam aos requisitos indicados nas bases regulatórias, empresas de serviços de energia e as comunidades de energias renováveis ​​ou de energia.
  • Após a confirmação do estatuto de beneficiário e de que o projeto cumpre os objetivos do concurso, procede-se à avaliação e seleção das candidaturas, a qual se baseará primeiro num critério económico, com uma ponderação relativa entre 40% e 80% e depois aplicando critérios de acordo com a zona de Transição Justa, de acordo com a viabilidade administrativa ou de acordo com externalidades positivas com uma ponderação de até 40%.

Mais informações atualizadas

https://www.avebiom.org/asociados/ayudas/ayudas-idae-20200929

Na Conferência Europeia de Biogás 2020, ficou evidenciado o grande potencial do biometano, fornecendo energia renovável e ajudando o desenvolvimento rural, em linha com o Pacto Verde Europeu. Em declarações da Presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen: “Para a neutralidade climática em 2050, precisamos de um fornecimento de gás 100% renovável baseado em gases verdes, como o biometano e o hidrogênio”. 

em Conferência Europeia de Biogás 2020 Ficou comprovado o grande potencial do biometano, fornecendo energia renovável e auxiliando no desenvolvimento rural, em linha com o Pacto Verde Europeu. Em declarações da Presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen: “Para a neutralidade climática em 2050, precisamos de um fornecimento de gás 100% renovável baseado em gases verdes, como o biometano e o hidrogênio”. 

Na Europa, o biometano tem enorme potencial para descarbonizar a economia do continente, contando com a utilização de culturas intermediárias, que além do benefício que proporcionam ao solo, constituem matéria-prima para a produção de biogás. O crescimento do setor até 2030 pode ser exponencial, com a construção de cerca de 10.000 usinas de biogás, para se somar às 18.000 existentes atualmente. Serão necessárias políticas de apoio que proporcionem confiança aos investidores, exigindo objetivos ambiciosos e controlados para combustíveis avançados, incluindo biogás e biometano, regulamentos que facilitam o acesso às redes de gás, além de um Sistema de Garantias de Origem que permite o comércio transfronteiriça.

O setor agrícola desempenha um papel vital neste setor

Tanto pelo seu potencial como por ser um gerador de volumes significativos de GEE, requer incentivos que criem um quadro favorável para investimentos e suporte econômico para projetos de biogás, especialmente nas próprias instalações. 
Além dos benefícios ambientais, a digestão anaeróbia produz bioprodutos, como os biofertilizantes, devolve nutrientes ao solo e pode gerar pegadas de carbono negativas devido ao sequestro de carbono no solo. Este setor vai evoluir para a agroecologia, com instalações próximas à geração de resíduos. Portanto, o biometano não pode ser julgado apenas por seus custos de produção, mas também por suas muitas vantagens, ambientais, gestão de resíduos, melhoria da segurança de abastecimento, desenvolvimento rural, etc. e levando em consideração os fatores mencionados, é competitivo em relação a outras alternativas de baixo carbono. 
De acordo com a World Biogas Association (WBA), os atuais custos médios de produção de biometano, em torno de € 60 / MWh, podem ser inferiores ao custo do carbono em 2030, estimado em cerca de € 200 / ton CO2.

Existem grandes diferenças na produção de biogás na UE

A França, com a "Lei de Transição de Energia para o Crescimento Verde" em 2015, estabeleceu uma meta de que 10% do consumo em 2030 seria de gás renovável. Atualmente, há 155 usinas injetando biometano na rede. A taxa de crescimento é única na UE, uma média de uma nova planta de biometano por semana, com 1.000 projetos registrados no Registro de Capacidade de Reserva. Em 2050 terá gás 100% renovável.

Na Suécia, Dinamarca e Holanda existem postos de abastecimento que fornecem GNC 100% biometano. Na Dinamarca, 10% da rede fornece biometano.

Na Espanha estamos em um estado incipiente, cerca de 250 usinas gerando eletricidade e apenas duas usinas de biometano injetando na rede, além de outras em pequena escala ou em operação. Sendo um dos países da UE com maior potencial, este parque é inadequado. Os principais obstáculos são: a falta de um marco regulatório que incentive o investimento, a produção e o consumo, e a não existência de um sistema que certifique a origem renovável do biometano que permita sua comercialização dentro e fora do país. O sector confia em poder satisfazer a crescente procura do sector e confia na aplicação do artigo 10º do Projeto de Lei sobre Mudança Climática e Transição de Energia sobre a promoção e objetivos dos gases renováveis, que prevê:

  • metas de penetração anual de gases renováveis ​​na venda ou consumo de gás natural,
  • um sistema de certificação que permite supervisão e controle, e
  • regulamentos que favorecem a injeção dos referidos gases renováveis ​​na rede de gás natural.
     
O Seminário Metropolitano de Oviedo, outro edifício emblemático com elevada procura de aquecimento, procedeu à instalação de uma caldeira a biomassa de poli combustível de última geração concebida de série para uma pressão máxima de 5 bar e para combustíveis de biomassa com teor de humidade 40% no máximo.

O Seminário Metropolitano de Oviedo, outro edifício emblemático com alta demanda de aquecimento, realizou a instalação de uma caldeira multicombustível de biomassa de última geração projetado como padrão para uma pressão máxima de 5 bar e para combustíveis de biomassa com um teor máximo de umidade de 40%.

As duas velhas caldeiras a diesel foram substituídas pela instalação de um caldeira HERZ 800 kW BioFire que irá assumir a maior parte da demanda energética do recinto, visto que a instalação também possui uma caldeira a gás para eventuais picos de consumo.

A nova caldeira de biomassa é alimentada com cavacos de madeira local, reduzindo assim a pegada de carbono do edifício, ao mesmo tempo que colabora com a gestão eficiente das florestas do principado e contribui para a economia florestal da área.

fonte: www.termosun.com

Sem dúvida, a 15ª edição da FITECMA, que se realizará de 14 a 17 de julho de 2021, no Centro Costa Salguero, na Cidade de Buenos Aires, apresentará um perfil totalmente renovado. A inclusão de novas áreas temáticas e o desenvolvimento de atividades especiais possibilitarão trabalhar o conceito de inclusão de toda a cadeia da indústria florestal.

Sem dúvida a 15ª edição da FITECMA, que se realiza a partir de 14 para o 17 de julho de 2021, no Centro Costa Salguero, na Cidade de Buenos Aires, apresentará um perfil totalmente renovado. A inclusão de novas áreas temáticas e o desenvolvimento de atividades especiais possibilitarão trabalhar o conceito de inclusão de toda a cadeia da indústria florestal. Alocar uma área específica para Bioenergia (biomassa, tecnologia e materiais para geração de energia térmica) vai nessa direção.

A próxima edição da FITECMA '' alterou a sua estrutura para facilitar a visita dos visitantes, dividindo a feira em áreas temáticas: Máquinas; Ferramentas; Indústria 4.0; Suprimentos; Construção em Madeira; e Bioenergia, explica Nicolás De Gennaro, Diretor Executivo da feira.

Nesse sentido, foram selecionados parceiros altamente qualificados em cada uma das atividades a serem realizadas.

Em bioenergia PROBIOMASA já confirmou sua participação - Projeto de promoção da energia (FAO - Secretaria de Energia para o Desenvolvimento Produtivo - Ministério da Agricultura, Pecuária e Pesca), com cujas autoridades estão sendo planejadas ações de comunicação específicas que permitem a promoção da biomassa para a geração de energia limpa. Além disso, estão sendo feitos contatos com empresas nacionais e representantes dos principais fornecedores internacionais de tecnologia e produtores locais de pellets de madeira.

Ao mesmo tempo, eles pegam negociações com AVEBIOM - Associação Espanhola de Biomassa (organizadores da Expobiomasa, Valladolid), com a qual avançam facilitar as empresas espanholas que estão presentes na FITECMA.

fonte:

https://fitecma.com.ar/

As energias renováveis ​​continuam a trazer benefícios socioeconômicos ao criar vários empregos em todo o mundo. O setor atingiu 11,5 milhões de empregos em todo o mundo em 2019, cerca de 500.000 a mais que no ano anterior. Esses são os números publicados pela Agência Internacional de Energia Renovável (IRENA) na sétima edição da Renewable Energy and Jobs - Annual Review.

As energias renováveis ​​continuam a trazer benefícios socioeconômicos ao criar vários empregos em todo o mundo. O setor atingiu 11,5 milhões de empregos em todo o mundo em 2019, cerca de 500.000 a mais que no ano anterior.

Esses são os números publicados pela Agência Internacional de Energia Renovável (IRENA) na sétima edição da Renewable Energy and Jobs - Annual Review.

Bioenergia experimenta o maior crescimento ano a ano

Enquanto o setor de energia solar - solar fotovoltaica, solar térmica e refrigeração e energia solar concentrada (CSP) - continua liderando com pouco mais de 4,6 milhões de empregos, o setor de bioenergia (biocombustíveis líquidos, biomassa sólida , biogás e resíduos urbanos e industriais) ocupa um bom segundo lugar com pouco mais de 3,62 milhões de empregos.

O setor de bioenergia experimentou o maior aumento, 12% durante 2019, o que se traduz em 395.000 empregos em comparação com 2018, enquanto o setor solar experimentou um aumento de 4%, que é 168.000 empregos em comparação com 2018.

Mais inclusivo e melhor equilíbrio de gênero

Os empregos de energia renovável têm mostrado maior inclusão e um melhor equilíbrio de gênero do que os combustíveis fósseis. O relatório destaca que as mulheres detêm 32% de todos os empregos em energia renovável, em comparação com 21% nos setores de combustíveis fósseis.

Para construir a base de habilidades para a transição de combustíveis fósseis para renováveis, os países precisarão de mais treinamento vocacional, currículos mais fortes, mais treinamento de professores e um uso mais amplo de tecnologia de informação e comunicação para o ensino à distância. A pandemia COVID-19, diz IRENA, ressaltou a necessidade de energia renovável para atender às necessidades sociais, econômicas e ambientais.

Expectativas de emprego futuro

A Agenda de Recuperação Pós-COVID lançada recentemente pela IRENA indica que um grande programa de estímulo poderia criar até 5,5 milhões de novos empregos nos próximos três anos. Algo que permitiria ao mundo seguir o caminho de criar os 42 milhões de empregos em energia renovável que o Global Renewables Outlook projeta para 2050.

Fontes:

www.bioenergyinternational.com

www.irena.org

O primeiro encontro da Península Ibérica exclusivamente para profissionais do setor relacionado com o gás renovável terá lugar em Valladolid, nos dias 21, 22 e 23 de setembro de 2021.

O primeiro encontro da Península Ibérica exclusivamente para profissionais do setor relacionado com o gás renovável terá lugar em Valladolid, nos dias 21, 22 e 23 de setembro de 2021.

O evento, organizado conjuntamente pela Associação Espanhola de Biogás e a Associação Espanhola de Biomassa, promoverá oportunidades de negócios entre as empresas participantes da Espanha, Portugal e América Latina e também divulgará à sociedade as vantagens do desenvolvimento do biogás como fonte de energia renovável.

Devido à enorme importância do setor para atingir os compromissos energéticos e ambientais do nosso país no horizonte 2030, a feira contou com o apoio da European Biogas Association (EBA), da Bioenergy Europe (a associação europeia de bioenergia) e do Ministério para a Transição Ecológica e o Desafio Demográfico por meio do IDAE

Um dos principais objetivos do encontro é promover iniciativas relacionadas ao biogás e outros gases renováveis. O biometano, de composição química semelhante à do gás natural, é capaz de aproveitar o sistema de gás para seu transporte, distribuição ou armazenamento, e substituí-lo em seus usos finais usuais (cozimento, aquecimento, AQS, processos industriais, transporte, etc. .), com a vantagem inegável de ser de origem renovável e contribuir para conter as alterações climáticas.

Além disso, o evento apresentará todos oscomo notícias sobre o uso energético do hidrogênio.

A sociedade europeia preparou o caminho

Atualmente, existe um compromisso político claro na Espanha para essas tecnologias que não se manifestou até o momento.

Seguindo o rastro da França, que estabeleceu como meta uma rede de gás 100% renovável em 2050, a Espanha já está trabalhando para definir um quadro estável que tornará o desenvolvimento do biometano uma realidade, conforme exigido pelo Pacto Verde Europeu , o Plano Nacional Integrado de Energia e Clima e o projeto de Lei sobre Mudança do Clima e Transição de Energia.

A União Européia possui 18.200 usinas de biogás, com capacidade instalada de 11 GWe, capazes de gerar 63 TWeh por ano de biogás, e 750 usinas de biometano que produzem 23 TWh, com projeção de atingir 370 TWh em 2030 e 1.170 TWh em 2050.

Tanto a Espanha, com pouco mais de 200 centrais de biogás e 2 centrais de biometano em funcionamento, como Portugal, com 64 centrais de biogás, têm um longo caminho a percorrer para atingir os objetivos (Dados 2018 - Relatório Estatístico EBA 2019).

A situação derivada do covid-19 exige que todas as administrações - europeias, nacionais e regionais - acelerem a injeção económica neste setor gerador de emprego e riqueza local. Deste modo, Espanha, e também Portugal, reduzirão o escoamento de capitais para outras economias ao mesmo tempo que contribuem com um biocombustível renovável e próprio para a importante infraestrutura de gás que já temos: gasodutos, depósitos, redes de distribuição e caldeiras.

Profissionais da Península Ibérica terão seu compromisso bienal

Os organizadores da XNUMXª Mostra do Gás Renovável estão confiantes que a situação da saúde se normalizará nos próximos meses, e já trabalham para tornar a feira, as sessões paralelas e os congressos espaços seguros onde possam mostrar toda a inovação e tecnologia à disposição dos profissionais.

A I Feira do Gás Renovável será realizada paralelamente ao Congresso Internacional de Bioenergia e à feira Expobiomasa, que tem como foco a recuperação energética da biomassa sólida.

A fábrica de componentes de madeira localizada em Torelló, Espanha, deu um passo importante para a neutralidade de carbono graças a uma nova planta de biomassa. A partir de agora, a Quadpack Wood utilizará seus próprios resíduos de madeira para gerar energia para suas secadoras e sistemas de aquecimento e ar condicionado, eliminando a necessidade de combustíveis fósseis.
Redução de custos na instalação da linha Vap de caldeiras a pellets. As estratégias de controlo ECOFOREST implementadas garantem o impulso direto e a temperatura programada contra qualquer sistema de emissão (radiadores, fan coils, piso radiante), garantindo uma temperatura de retorno 10 ºC inferior à temperatura de impulsão, sem a necessidade de instalação de tanques de válvulas de inércia e anticondensação e independentemente do número de radiadores.